Um dia, um rio

Um-dia-um-rio_capa_altaUm dia, um rio  presenteia o leitor com uma autobiografia diferente. Nesse livro, Leo Cunha e André  Neves empregam poesia e imagens para mostrar os terríveis efeitos do vazamento da lama de mineração no Rio Doce, em Mariana (2015). Suas metáforas, simples e claras, não deixam dúvida quanto ao alcance da tragédia para toda a região, conforme dizem os versos: Nas minhas dobras não sobrou um peixe, / um sapo, / uma cobra, / Ninguém pra contar a história. / Hoje quem conta a história / Sou eu. Versos esses arrematados, nas páginas seguintes, por imagens de uma sequência de brancas ossadas de peixes em fundo cor de lama ferruginosa e o terrível verso constatação:  Eu fui um rio, um dia. O resultado, pode-se dizer, é essa belíssima  e pungente homenagem ao Rio Doce e a todos os rios…,um livro poema para deleite de leitores independentemente de idade!  Um verdadeiro livro poema!

 

Um dia, um rio
Leo Cunha
Ilustrações de André Neves
Pulo do Gato, 2016

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s