Delícias para devorar com todos os sentidos

De todos os cantosA música é o idioma universal e ponto final.
Isto é o que afirmam as autoras
do belíssimo livro multimídia
De todos os cantos do mundo.

 

 

Entre causos e canções, as autoras nos mostram como e por quê, para os povos nativos, a arte de contar histórias é considerada especial:

Para eles a narração tem cadências musicais, timbres de vozes distintas, pausas expressivas, quase não há diferença entre cantar e narrar.

A paixão que, na literatura oral, extingue os limites entre fala e canto está encarnada neste livro-cd.

De todos os cantos do mundo funde música, literatura e artes visuais,
num excelente trabalho de pesquisa.

Editado pela Companhia das Letrinhas, foi escrito por duas mulheres, Heloísa Pietro
– doutora em literatura francesa pela USP – e Magda Pucci – musicista e pesquisadora
do repertório multicultural mundial -.

O belíssimo cd traz 12 canções, interpretadas pelo grupo de música étnica Mawaca.
Ouvi-lo é puro deleite, embala nossos sentidos mais profundos.

Ao ouvir as canções, o leitor pode acompanhar no livro as letras das músicas nas suas línguas de origem, ou suas respectivas traduções para o português.
Além das letras, há um texto informativo, que traz, em linguagem leve e poética,
curiosidades sobre a cultura a que está relacionada cada música.
E para melhorar ainda mais: o livro possui excelentes ilustrações!

De todos os cantos do mundo é fina poesia que as autoras e os músicos oferecem
para abrir a cabeça, o coração e os ouvidos” de quem estiver pronto para se entregar à esta viagem entretecida na cultura de vários povos.

Voamos da história de Adão e Eva a uma canção africana, de uma canção de despertar
com registros tanto na França quanto na Ásia a uma canção de ninar do Pará,
passando pelo Japão, México, Bulgária e indo fundo às raízes das mais diversas cosmologias.

E tudo parece existir para que nos lembremos da verdade essencial que nos une:

“Somos todos nós, seres humanos,
independente de raças ou credos,
banhados pelo mesmo Sol.
Esta figura maginífica que todos os dias,
sem deixar de brilhar, nasce e morre,
de horizonte em horizonte”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s